Atendendo o pedido de alguns dos leitores do blog, separamos os detalhes mais marcantes da carreira de Zinedine Zidane, bem como quais foram as camisas que o craque vestiu.

 

Seu futebol tinha como caracteristica principal, a elegância de passadas largas, mescladas com passes precisos e muita tranquilidade para organziar o jogo, não brilhava por marcar muitos gols e sim por deixar seus companheiros  frquentemente em condições claras de marcar.

Durante sua carreira, vestiu a camisa de poucos clubes: Cannes (França), Bordeaux (França), Juventus (Itália) e Real Madrid (Espanha), conquistando os mais diversos títulos.

 

 

A História de Zidane e cronologia de sua carreira

 

Zizou, ao contrário do que muitos pensam não nasceu na Argélia e sim era filho de argelinos, o meia foi o quinto filho da família e nasceu em Marselha na França.

 

Sant Henri

Com 10 anos de idade o craque, iniciou sua trajetoria no mundo do futebol e começou a jogar no time de seu bairro o Sant Henri, chamando muita atenção por sua liderança e sendo o capitão do clube mesmo mais jovem que outros garotos.

 

 

Les Vallons

 

Um ano depois, chamou a atenção do treinador do Septeme Les Vallons, que não desistiu enquanto nao convenceu o jovem Zinedine Zidane a se juntar ao clube, tendo sucesso após conversar com os familiares do garoto.

 

Zidane é o primeiro abaixado à esquerda.

 

Cannes

 

Em 1986,  foi convidado para uma bateria de testes no Cannes, que duraria inicialmente somente algumas semanas, mas tendo agradado muito o Staff do clube, por lá ficou e teve seu registro oficial como jogador, na Federação Francesa de Futebol.

 

 

 

Com apenas uma temporada nos junirores, fez sua estréi na equipe principal do Cannes, em partida contra o Nantes dos seus futuros companheiros de seleção Deschamps e Desailly, em contrapartida seu primeiro gol pela equipe só foi sair em fevereiro de 1991, fato que o fez ganhar um carro vermelho do ex-presidente do clube, por conta de uma aposta que fizera que o jogador.

Na temporada de 1991/1992, com o rebaixamento do Cannes, foi vendido para o Bordeaux pela quantia de 7 milhões de euros.

 

Bordeaux

Foi no Bordeaux que Zinedine Zidane, começou a conquistar títulos e ter uma carreira de sucesso, a iniciar pela extinta taça Intertoto da Uefa, mas foi na sua quarta temporada pelo clube que o francês, passou a chamar atenção do mundo, ele conseguiu levar o clube que vinha no meio da tabela do francês, até uma inédita final da Copa da Uefa, vencendo o grandioso Milan, com atuações de gala.

 

 

Infelizmente o craque não foi capaz de levar a equipe ao título, pois o clube enfrentou na final, nada mais nada menos que o Bayern de Munique de Klinsmann, Papin e Matthaus.

Em contrapartida, por conta desta competição a Juventus da Itália, entrou forte da briga por sua contratação e levou o jogador, para a temporada de 1996/1997.

 

Juventus

A equipe italiana acabara de conquistar a Champions League e atendeu um pedido de Marcello Lippi ao apostar em Zinedine Zidane, para substituir o português Paulo Sousa, porem, no inicio o craque sofreu para se adaptar com a mudança de cultura e futebol mais defensivo praticado na Itália, alem de comparações com outro astro francês, Michel Platini, que marcara epóca uma década atrás pelo clube italiano.

 

 

Mas alguns meses foram o bastante para que Zinedine Zidane se adaptasse ao futebol italiano,  se tornando indispensavel para a equipe italiana. Para se ter uma idéia da importancia do francês, mesmo com a ausência de Del Piero em todas as partidas da fase de mata-mata da Champions League de 1996/1997 (exceto a final), o francês foi titular absoluto em todas as partidas e comandou a equipe até mais uma final da competição européia, onde caiu para o Borussia Dortmund, perdendo por 3×1, mas para alegria dos italianos, naquele mesmo ano a equipe voltou a ser campeã italiana.

Na temporada de 1997/1998,  que terminaria com a Copa do Mundo da França, logo em sequencia , Zidane e a Juventus, continuaram com a sua perseguição pelo título europeu. O time lendário da Juve que contava com Davids, Del Piero, Inzaghi, Zidane e Deschamps, acabou por conseguir chegar em sua terceira final de Champions League consecutiva, porem o clube encontrou na final o Real Madrid e apesar de jogar bem, voltou a perder (1xo) e novamente como prêmio de consolação ficou com o título italiano.

Foi neste ano que Zidane comandou a equipe francesa em seu único título mundial e conquistou o prêmio de melhor jogador do Mundo pela Fifa e também a Bola de Ouro.

Na temporada seguinte, dois grandes fracassos, o clube italiano amargou a sétima coloção da Série A e acabou nem se classificando para competições européias, mas uma das derrotas mais doloridas de sua carreira na visão do francês, foi a virada que o clube levou do Manchester United, pela Champions daquele ano, jogando em sua própria casa, onde após empatar na Inglaterra por 1×1, abriu 2×0 e deixou os inglêses chegarem a 3×2.

A partir desta queda do clube, a relação de Zizou com os italianos começou a estremecer e o mesmo, comandou o clube a no máximo mais 2 vice-campeonato da Série A Italiana, inclusive com a fala de Agnelli: “Zidane é mais divertido do que útil”, fato que não passou desapercebido ao poderoso que Real Madrid que em 2001 assegurou a compra do craque pela quantia de 75 milhões de Libras.

 

Real Madrid

A sua transferência para o Real Madrid, foi a segunda negociação mais cara da história (setenta e sete milhões de euros) e até 2009 a maior.

 

O clube não faturou o campeonato espanhol daquele ano (que ficou com o Valencia), mas ficou com o título mais importante da temporada europeia: a Liga dos Campeões da UEFA.

O sabor da conquista foi ainda mais especial do que o normal para cada uma das partes: para Zizou, era a primeira vez que levantava o troféu, depois de dois vice-campeonatos com a Juventus.

Para o Real, além de representar la novena (sua nona conquista, sendo a terceira em quatro anos, isolando-se ainda mais como maior vencedor da competição), presenteava também o centenário do clube, naquele 2002.

 

 

A temporada seguinte, para Zidane, foi uma repetição de seu primeiro ano na Itália: ganhou a Supercopa Europeia (o único título que faltava ao Real Madrid), Copa Intercontinental, bem como o campeonato nacional.

O clube ainda chegou às semifinais da Liga dos Campeões da UEFA, sendo parado pela ex-equipe de Zidane, a Juventus. Com isso, recebeu pela terceira vez o prêmio de melhor jogador do mundo pela FIFA, igualando Ronaldo, com quem convivia no Real e formavam os chamados galácticos, ao lado de Luís Figo e David Beckham.

 

 

A temporada de 2003/2004, começou boa para o craque, que logo ergueu o título da Super Copa Espanhola, o que o craque não sabia é que este seria justamente o seu último título como jogador profissional, naquele mesmo ano, o Real Madrid, mesmo jogando bem foi eliminado de todas as competições que disputou, perdeu a Copa do Rei para o Zaragoza, foi eliminado nas quartas de final da Champions pelo Monaco e mesmo liderando o espanhol por boa parte da competição, perdeu o título para o Valência.

Os anos seguintes, conseguiram ser ainda piores, enquanto o Real Madrid continuava a perder títulos, seu arquirival Barcelona, começava a crescer e dispontar como a principal equipe do país.

 

 

Seleção Francesa

Pela seleção francesa estreiou contra a República Tcheca, entrando aos 18 minutos do segundo tempo e marcando os 2 gols no empate por 2×2 entre as quipes.

 

 

Conquistou a vaga de titular da equipe em 1996, justamente no periodo que Eric Cantona, fora suspenso por agredir um torcedor na Inglaterra, já em sua primeira competição européia levou os franceses até a semi-final, porem nao brilhou, a competição ocorreu justamente  em uma das piores fases da carreira do jogador, onde o mesmo estava a mais de um ano sem marcar gols.

Pouco antes da Copa de 1998, o craque costumava oscilar entre partidas de gênio pela Juventus e partidas péssimas pela seleção francesa, fato que fez muito dos franceses questionarem se ele seria o jogador ideal para armar a equipe, na Copa que seria disputada em seu páis, para se ter uma idéia de como o craque andava jogando mal pela seleção que estava automaticamente garantida como país-sede, foi substituído em dez  jogos  da preparação e começou no banco em outras seis.

Ainda assim o craque desafio a todos e afirmou “Eu vou ganhar a Copa do Mundo”,  para piorar, neste periodo os franceses organizaram a Copa da França e só tiveram resultados ruins, perdendo para Inglaterra e empatando com Brasil e Itália.

A Copa chegou e ao contrário do que havia prometido, Zinedine Zidane, começou a competição extramente mal, tendo como gota d´água a sua expulsão no jogo contra a Arábia Saudita ao pisar em um adversário e sendo suspenso pelos 2 próximos jogos da equipe.

 

 

Em sua volta, jogou as quartas de final e a semi final, mas também não chegou a brilhar, foi justamente na final contra o Brasil (atual campeão mundial) que o craque teve seu momento de redenção e maior brilho na competição,  fazendo dois gols em plena final ao aproveitar-se de duas cobranças de escanteio no primeiro tempo, para muitos dos criticos o craque fez uma de suas mais perfeitas partidas vestindo a camisa da França.

 

 

Se a boa atuação na partida não foi suficiente para o craque ser eleito o melhor da Copa (prêmio que o brasileiro Ronaldo levou),seu papel decisivo foi reconhecido pela Fifa e pela France Football que premiaram o jogador como o melhor daquela temporada.

Pela França, a conquista da Copa foi seguida de uma quase eliminação rumo à Eurocopa 2000.

Por pouco os campeões do mundo não ficaram de fora do torneio: conseguiram a única vaga do grupo beneficiando-se de um inesperado empate na última rodada dos então líderes, Rússia e Ucrânia, em Moscou, ultrapassados em respectivamente dois e um ponto pela vitória francesa sobre a Islândia.

Mas na Euro, os Bleus souberam impor-se, perdendo quando podiam: para a Holanda na  partida em que Zidane não jogou, na última rodada da primeira fase, após terem vencido Dinamarca e República Tcheca.

Na fase final, Zidane voltou a brilhar, marcando nas vitórias por 2 x 1 sobre a Espanha e Portugal (contra os lusitanos, um gol de ouro a três minutos do fim da prorrogação).A conquista da Euro veio após dramática final contra a Itália, que vencia até os 49 minutos do segundo tempo, quando a França igualou e venceu a partida de forma heróica no tempo extra.

 

 

Sendo o maestro do segundo título francês na Eurocopa , e tendo então conquistado seguidamente Copa e Eurocopa, Zidane seria eleito ao final daquele ano 2000 o melhor jogador do mundo pela FIFA, pela segunda vez.

A conquista também colocou a França como primeira colocada no ranking de melhor seleção do mundo, pela FIFA.

Por tudo isso, com um time mais experiente e ainda melhor do que o campeão mundial de 1998, a França chegou à Copa do Mundo de 2002 como a grande favorita.

Por uma fatalidade ou uma peça que os deuses do futebol pregaram na equipe francesa, Zidane teve um estiramento na coxa, 5 dias antes da partida de estreia da equipe na Copa, em uma partida amistosa contra a Coréia do Sul.

Em decorrencia desta lesão o craque ficou de fora dos dois primeiros jogos da equipe, na competição, na surpreendente derrota para Senegal por 1×0 e no empate por 0x0 contra o Uruguai, precisando vencer, seu próximo compromisso contra a Dinamarca por 2 gols de diferença, Zizou foi para o sacrifício, que pouco pode fazer ao ver seus companheiros, extremamente nervosos e perdendo gols que em outras competições jamais perderiam, desta forma a equipe perdeu por 2×0 e se despediu da competição sem ao menos ter marcado um único gol.

 

 

A equipe de recuperou nas Eliminatórias da Eurocopa de 2004 e se classificou com muita facilidade, ao abrir 10 pontos para o segundo colocado.

Na competição disputada em Portugal, Zidane, vinha fazendo uma bela competição, tendo marcado os 2 gols na virada contra a Inglaterra na primeira fase (2×1) e um outro na vitória conta a Suiça por 3×1, porem para surpresa de todos a equipe acabou sendo eliminada pela Grécia (futura campeã do torneio), em sua primira partida de mata-mata da competiçã0.

Essa trágica partida, em teoria marcava a despedida da geração dourada da França e seria o adeus de Zidane, Lizarazu, Thuram e Desailly.

Pouco mais de um ano depois, Zizou reviu sua posição, declarando-se disposto a voltar e atribuindo a decisão a uma conversa com o irmão (embora tenha chegado a divulgar-se que ele teria sido aconselhado por uma estranha voz em uma madrugada).

O retorno do craque, juntamente com Thuram e Makelele, foi providencial e a equipe que estava seriamente ameaçada de não se classificar para a Copa de 2006 e com 3 vitórias e um empate após o retorno, conseguiram o primeiro lugar e a sonhada classificação.

No mesmo ano, em amistoso contra o México, Zidane conseguiu o marco de 100 jogos com a camisa francesa.

A  Copa de 2006, seria a sua última competição. após anunciar a sua aposentadoria no Real Madrid, entretanto o craque fez, uma primeira fase de competição bastante abaixo do que se esperava, levando dois cartões amarelos nas duas primeiras partidas da competição que acabaram por terminar em 2 empates, só conseguiu se classificar contra Togo em partida que o craque cumpriu suspensão.

Nas oitavas de final, veio novamente a sua redenção na vitória de virada por 3×1 sobre a Espanha, onde o craque desfilou com sua velha habilidade e tranqulidade para armar a equipe, tendo ele inclusive marcado o terceiro gol da equipe aos 46 do segundo tempo.

 

 

Por causa da irregularidade na primeira fase, a França chegou as quartas de final contra o poderoso Brasil, como azarão e cabia a Zidane mostrar novamente, que todos estavam enganados.

Contra os canarinhos, Zidane realizou uma de suas melhores partidas, demonstrando toda a sua criatividade durante o jogo, o que incluiu um chapéu sobre seu antigo companheiro Ronaldo e uma assistência para o o gol de Henry que eliminou o Brasil, terminando a partida mais uma vez como melhor em campo.

 

 

Na Semi-Final, marcou o gol de pênalti na vitória por 1×0 contra Portugal e antes mesmo do final da competição já estava eleito como o melhor jogador da Copa do Mundo.

Na Final, abriu o placar contra os italianos, novamente de pênalti e se tornou o quarto jogador da história a marcar gols em duas finais de Copa do mundo distintas, alguns minutos depois os italianos vieram a empatar o jogo com gol de Materazzi.

A partida seguiu empatada e quase sem nenhuma chance de gol para nenhum dos lados e foi para a prorrogação, aos 5 minutos do segundo tempo da prorrogação, ocorreria o lance mais polêmico da carreira de Zinedine Zidane, que após ouvir insultos contra a sua família, proferidos por Materazzi, reagiu com uma cabeçada no tórax do adversário.

 

 

Sua última imagem como jogador, foi emocionante ao passar ao lado da taça da Copa e ficou marcada na memória de todos os amantes do esporte.