Camisas de Futebol » MDF Entrevista: Dudu Monsanto, presidente da Frente Azul (Serrano FC)

MDF Entrevista: Dudu Monsanto, presidente da Frente Azul (Serrano FC)

by André Coutinho
Compartilhe este link em suas redes sociais:

Recentemente trouxemos aqui no MDF a notícia de que o Serrano Football Club, um dos times mais tradicionais do estado do Rio de Janeiro, iria vender seus novos uniformes a um preço mais popular, visando facilitar a compra por seus torcedores apaixonados.


O Serrano passou por grandes mudanças recentemente.  Em 2016 o futebol do clube passou a ser comandado pela Frente Azul, grupo gestor sem fins lucrativos. A primeira ação foi, uma campanha de crowdfunding, criada logo no começo do projeto, com a venda de uma camisa retrô e outros produtos para ajudar a reabrir o departamento de futebol do clube.

Desde lá, o Serrano conseguiu, no primeiro ano de gestão, o acesso na Série C carioca e há duas temporadas disputa a Série B1, a segunda divisão.

Veja também: 

[+] Novas camisas do Serrano 2018-2019 WA Sport

O MDF Entrevista de hoje é com o presidente da Frente Azul e jornalista da ESPN Brasil, Eduardo Monsanto, que contou mais sobre a ação de diminuir o preço das camisas, o crowdfunding e dos desafios de gestão de um clube de futebol.

Confira abaixo a entrevista completa:

Mantos do Futebol: O Serrano resolveu diminuir o preço das camisas para a temporada 2018. O que motivou o clube a tomar esta atitude?
Eduardo Monsanto: Nosso clube é um clube popular, nosso torcedor é o trabalhador brasileiro típico, que sofre com o momento ruim da nossa economia. Entendemos que ao invés de cobrar 120 ou 130 reais, como nas duas temporadas anteriores, deveríamos fazer um esforço para que nossa camisa chegasse a mais pessoas. E com o desafio de manter a qualidade, não baratear à custa de usar material de baixa qualidade. Cortamos pela metade o valor de royalties que o clube recebia e o valor destinado ao revendedor, e a WA Sport entendeu a importância dessa atitude e também baixou o preço de custo da nossa camisa.

MDF: Houve uma parceria com a WA Sport para diminuir o custo de produção, ou o clube absorverá sozinho esta redução?
Dudu: Todas as partes colaboraram e diminuíram o que puderam para tornar o preço da camisa mais acessível.

MDF: Recentemente você disse na ESPN que a produção dos novos uniformes foi uma corrida contra o tempo, por causa dos patrocinadores. Poderia explicar mais sobre isso?
Dudu: Já tínhamos recebido o material 2018 da WA Sport e utilizamos no amistoso final de pré-temporada. Mas a três dias da estreia, fechamos o nosso patrocinador master, a JJ Invest. Não havia tempo para que eles fabricassem novos uniformes, então aproveitei que estava em Petrópolis e estiquei até Cachoeiras de Macacu (sede da WA) para silkar a logo a tempo da primeira rodada, sábado, contra o Duque de Caxias em Xerém. Essa operação foi feita na véspera do jogo, e graças a Deus foi bem sucedida.

MDF: A nova camisa reserva é uma reedição de um manto bem especial na história do clube. Poderia nos explicar a homenagem?
Dudu: Nós temos excelente diálogo com nossa torcida. Um deles, o Francisco Theisen, que viveu na arquibancada os tempos de Serrano na primeira divisão do Rio, me disse que em 2018 seria comemorado o centenário do primeiro título do clube, o Campeonato Municipal de 1918. Ele tinha a foto do time campeão, camisa metade branca, metade azul, e sugeriu que adotássemos esse modelo para homenagear a conquista. Gostamos da sugestão e assim foi feito. O uniforme é lindíssimo.

Camisa reserva do Serrano celebra o centenário do primeiro título do clube

MDF: Os torcedores são parte essencial de um clube e vocês mostram que valorizam isso ao reduzir os preços das camisas oficiais. Já existiu ou vocês pensam em criar alguma ação para que os torcedores participem da criação das próximas camisas do Serrano?
Dudu: Indiretamente, foi o que aconteceu este ano. Não foi nada programado, mas estamos sempre abertos a dialogar com a torcida e fazer o que estiver ao nosso alcance para atendê-lo.

MDF: Se algum leitor do Mantos do Futebol, que não mora na região Petrópolis, quiser adquirir alguma camisa do Serrano, como ele deve fazer?
EM: A venda ainda não começou. Assim que estiver definida, mandamos um alô pra vocês!

MDF: Em 2016, vocês lançaram a campanha “Camisa com história não morre”, nós do Mantos do Futebol inclusive participamos e temos aquela bela camisa retrô. Pode nos falar um pouco mais sobre aquela campanha e de que maneira ela ajudou o clube a superar as dificuldades e seguir em frente?
Dudu: Vendendo a camisa retrô e outros brindes, arrecadamos 52 mil reais, dinheiro fundamental para reiniciar a operação do departamento de futebol profissional, que estava fechado desde 2014. Escolhemos reeditar a camisa de 1980, temporada em que o Serrano venceu o Flamengo de Zico por 1×0 e tirou dos rubro-negros a possibilidade de um inédito tetracampeonato do Rio de Janeiro. A camisa ficou linda, e até hoje o pessoal a procura.

MDF: Esportivamente falando, o clube voltou a disputar a série C em 2016 e agora já está na série B1. Veremos o Serrano em breve disputando a elite do Campeonato Carioca?
Dudu: Quando nosso trabalho começou, em 2016, a meta era colocar o Serrano novamente na elite até 2020. Mas com o elenco que montamos para este ano e a qualidade da nossa comissão técnica, não dá pra não considerar o Serrano um dos favoritos ao título da B1 este ano. O acesso este ano é factível, e vamos brigar muito por isso.

Gostou do MDF Entrevista com Dudu Monsanto, presidente da Frente Azul, que gere o Serrano FC?

Compartilhe este link em suas redes sociais:

Você também pode gostar