Camisas de Futebol » Caixa promove ação em prol do dia do deficiente físico

Caixa promove ação em prol do dia do deficiente físico

by André Coutinho
Caixa promove ação em prol do dia do deficiente físico
Compartilhe este link em suas redes sociais:

Em ação idealizada pelas Loterias CAIXA, quatro jogos da última rodada do Campeonato Brasileiro tiveram ações promovendo a inclusão das pessoas com deficiência e sua participação no paradesporto.

Caixa promove ação em prol do dia do deficiente físico

Foto: Miguel Locatelli/Atlético Paranaense

Para chamar a atenção da torcida dentro e fora do campo, alguns jogadores usarão uniformes com números alterados, fazendo referência aos códigos que designam as diversas modalidades paradesportivas e suas classes.

Caixa promove ação em prol do dia do deficiente físico

Foto: Ivan Storti/Santos

O Dia Internacional da Pessoa com Deficiência é comemorado em 3 de dezembro e para marcar a homenagem, as equipes patrocinadas pelo banco em cada partida vestiram camisas especiais: Atlético Mineiro x Botafogo, Flamengo x Atlético Paranaense, Bahia x Cruzeiro e Sport x Santos.

Caixa promove ação em prol do dia do deficiente físico

Foto: Bruno Cantini/Atlético Mineiro

Faixas com o slogan da campanha “A diferença faz parte do jogo” foram exibidas nos estádios no início e intervalo das partidas. Além disso, no jogo Sport x Santos os jogadores entraram em campo acompanhados pelo velocista e recordista paralímpico Petrúcio Ferreira e por crianças com deficiência.

Caixa promove ação em prol do dia do deficiente físico

As modalidades paralímpicas são identificadas por letras e números. Por exemplo, F significa field (campo, em inglês) e diz respeito às provas de arremesso e lançamento do atletismo.

O número representa o grau de comprometimento da deficiência. Quanto maior o comprometimento, menor o número. As alterações nas camisas serão realizadas sempre que houver compatibilidade com a nomenclatura correspondente.

Caixa promove ação em prol do dia do deficiente físico

Camisa do Sport Recife também homenageou o Coronel Adelson Wanderley, falecido no último dia 18

Conheça as modalidades e os números:

Atletismo

Provas de campo – arremesso e lançamentos:
F – Field (campo)
F11 a F13 – deficientes visuais
F20 – deficientes intelectuais
F31 a F38 – paralisados cerebrais (31 a 34 para cadeirantes e 35 a 38 para andantes)
F40 e F41 – anões
F42 a F47 – lesões na perna, braço e amputados de membros superiores
F51 a F57 – competem em cadeiras (sequelas de poliomielite, lesões medulares e amputações)
F61 a F64 – amputados de perna que competem com prótese

Provas de pista – corridas de velocidade, de fundo e salto: T – track (pista)
T11 a T13 – deficientes visuais

T20 – deficientes intelectuais
T31 a T38 – paralisados cerebrais (31 a 34 para cadeirantes e 35 a 38 para ambulantes)
T42 a T47 – lesões na perna, braço e amputados de membros superiores
T51 a T54 – competem em cadeiras (sequelas de poliomielite, lesões medulares e amputações)
T61 a T64 – amputados de perna que competem com prótese

Bocha

BC1: opção de auxílio de ajudantes (podem estabilizar ou ajustar a cadeira do jogador e entregar a bola, quando pedido).
BC2: não podem receber assistência.
BC3: deficiências muito severas. Usam instrumento auxiliar, podendo ser ajudados por outra pessoa.
BC4: outras deficiências severas, mas que não recebem assistência.

Futebol de 5 e Goalball

Os atletas são divididos em três classes, que começam sempre com a letra B
(blind, cego em inglês).
B1 – Cego total: de nenhuma percepção luminosa em ambos os olhos até a percepção de luz, mas com incapacidade de reconhecer o formato de uma mão a qualquer distância ou direção.
B2 – Jogadores já têm a percepção de vultos. Da capacidade em reconhecer a forma de uma mão até a acuidade visual de 2/60 e/ou campo visual inferior a 5 graus.
B3 – Os jogadores já conseguem definir imagens. Da acuidade visual de 2/60 a acuidade visual de 6/60 e/ou campo visual de mais de 5 graus e menos de 20 graus.

Natação

As classes sempre começam com a letra S (swimming). O atleta pode ter classificações diferentes para o nado peito (SB) e o medley (SM).
S1 a S10 / SB1 a SB9 / SM1 a SM10 – nadadores com limitações fisicomotoras
S11 a S13 / SB11 a SB13 / SM11 a SM13 – nadadores com deficiência visual
S14, SB14, SM14 – nadadores com deficiência intelectual

Tiro Esportivo

SH1: atiradores de pistola e de carabina que não requerem suporte para a arma
SH2: atiradores de carabina que não possuem habilidade para suportar o peso da arma com os braços e precisam de suporte para ela.

O que achou da ação da Caixa em prol do dia do deficiente físico? Compartilhe!

Compartilhe este link em suas redes sociais:

Você também pode gostar