Recebemos esta foto, que muito provavelmente pertence ao maior fã de todos os tempos de Ronaldinho.

Coleção de camisas de Ronaldinho Gaúcho

Em homenagem ao fanático torcedor, preparamos um pequeno especial sobre a carreira do craque:

 

Início

Formado nas categorias de base do Grêmio, ainda com 17 anos, o jovem dentuço se sagrou campeão pela equipe sub-17 do clube, chamando a atenção do então treinador da equipe principal Celso Roth.

 

 

Sua primeira partida como profissional ocorreu em 1998 pela Copa Libertadores, onde logo de cara chamou a atenção de todos pela enorme habilidade e controle de bola.

Com a camisa do tricolor gaúcho, disputou 141 partidas e marcou 68 gols e é considerado por muitos como a maior revelação do clube de todos os tempos.

Sua afirmação como craque ocorreu no ano de 1999, onde marcou um gol épico em partida contra a Venezuela na primeira fase da Copa América daquele ano, ainda em 1999 Ronaldinho também brilhou nas finais do Gaúchão, quando fez o gol do título o arqui-rival, Internacional e fez questão de humilhar o tetracampeão e capitão do rival, Dunga, ao aplicar dribles de efeito e ir para cima em cada jogada sobre o rival.

 

Ronaldinho entorta Dunga no Grenal

 

Apesar do forte assédio da Europa, o Grêmio, conseguiu segurar o jogador até 2001, ano em que o contrato do jogador terminaria e ao contrário do que imaginava, o jogador e família optaram por assinar um pré-contrato as escondidas com o Paris Saint-Germain, frustrando a diretoria gaúcha que havia produzido inclusive uma faixa, dizendo que o jogador não estava à venda.

 

 

Mesmo tendo dito que adoraria ficar no clube neste mesmo período em que já tinha assinado o pré-contrato com o Paris Saint-Germain, a diretoria do clube fez jogo duro e deixou Ronaldinho na geladeira, tendo-se iniciado uma longa batalha judicial entre o Grêmio e o clube francês, onde o craque ficou sem jogar durante meses, voltando a jogar somente em Agosto, pelo PSG.

 

Europa

Em sua passagem pelo PSG, Ronaldinho teve problemas com o treinador da equipe, que alegava que Ronaldinho estava frequentando demais a vida noturna parisiense e deixando o futebol de lado. Ele também ganhou fama por arrebentar nos clássico e não jogar nada contra as equipes pequenas.

 

Ronaldinho não se deu bem com o técnico do PSG

 

Tendo brilhado e sendo decisivo na Copa do Mundo de 2002 , o PSG recebeu uma chuva de ofertas de grandes clubes pelo passe do craque, entre eles Manchester United e Barcelona. Sendo assim em 2003, após entrevista Ronaldinho fez um pedido público para deixar o PSG, logo após o clube não ter conquistado nenhum título.

 

O auge

Em 19 de julho de 2003 o então presidente do Barcelona, Joan Laporta, fechou negócio pelo passe de Ronaldinho, pagando o montante de 21 milhões de euros. Nos bastidores da contratação, muito se falou na opção de ter assinado com o Barcelona em vez do Manchester, por conta de sua amizade com o ex-executivo da Nike, Sandro Rosell.

 

Ronaldinho com a camisa do Barcelona

 

Em sua primeira temporada no clube (2003/2004), o craque não conseguiu grandes conquistas, ficando apenas com o vice-campeonato da Liga Espanhola.

Mas foi na temporada de (2004/2005) que o craque se consagrou realizando jogadas fantásticas conquistando a Liga e a Super-Copa da Espanha, além do título de Melhor jogador do mundo naquele ano.

Na temporada seguinte, a de (2005/2006), repetiu o feito conquistando novamente a Liga Espanhola e ficou marcado por aquela que segundo ele, foi a maior atuação de sua carreira, jogo contra o Real Madrid.

Nesta partida Ronaldinho marcou duas vezes e foi o grande destaque da vitória por 3-0 na casa do adversário, sendo considerada uma pintura o segundo gol na partida, após uma belíssima jogada onde passou por vários adversários antes de concluir com extrema precisão, fazendo até então algo impossível acontecer, os torcedores do Real Madrid levantaram e aplaudiram muito o craque em pleno Bernabeu.

Foi nesta mesma temporada, que o Barcelona venceu a Champions League e novamente a Super-Copa da Espanha.

 

Itália

Após anos de sucesso no Barcelona, em julho de 2008, recusou uma oferta de 25 milhões de Euros do Manchester City e se transferiu para o Milan, assinando um contrato de cinco anos. No clube rossonero o número 10 já era de propriedade do holandês Clarence Seedorf, por conta disto Ronaldinho escolheu a camisa de número 80, por ter nascido em 1980.

 

 

Ele terminou sua primeira temporada no Milan, marcando 10 gols em 35 jogos por todas as competições que jogou. Após um começo de temporada empolgante, colecionou atuações abaixo da média e figurou boa parte do segundo semestre entre os reservas de forma decepcionante.

Sua segunda temporada começou da mesma forma que terminou a primeira, mas após conversas com a direção do clube, reencontrou sua melhor forma e terminou a temporada como o craque da equipe. Outra curiosidade foi o fato de ter deixado de jogar no meio de campo e passado a jogar como atacante.

Em 2009 , foi eleito como o maior jogador da década pela revista inglesa World Soccer, ficando a frente de jogadores como Zidane, Ronaldo e Messi.

 

Ronaldinho em sua passagem pelo Milan da Itália

 

Na temporada de 2009/2010, teve o título de líder de assistências na Serie A, com um total de 13, mas por ser presença constante no banco, pediu para ser negociado.

 

A volta ao Brasil

Por conta desta insatisfação, Ronaldinho manifestou interesse em voltar a atuar no Brasil, para ter mais chances de defender o Brasil na Copa de 2014. Apesar de ter contrato em vigor, o vice-presidente do clube italiano Adriano Galiani, admitiu liberar o jogador para clubes brasileiros e logo surgiu o nome do Grêmio, seu clube formador, como um dos possíveis destinos do craque.

Flamengo e Corinthians também buscavam contratar o jogador, que negociava com todos ao mesmo tempo e após semanas de muitas especulações e negociações arrastadas, o clube gaúcho enfim marcou sua apresentação com direito a aluguel de carro de som e muita festa, porem para surpresa de todos e com uma proposta mais vantajosa em termos financeiros o irmão e empresário do craque optou por dar um drible nos gremistas e no mesmo dia assinou contrato com o Flamengo.

 

Apresentação de Ronaldinho no Flamengo

 

Com uma passagem com alguns altos e belos lances, mais marcada por muita confusão, atrasos salariais, noitadas e ausência de patrocinadoresbancando o craque, sua passagem como esperado só durou uma única temporada em terra cariocas e vestindo a camisa do Flamengo.

A crise entre clube e jogador, chegou a níveis desproporcionais quando o irmão do craque e empresário Assis, foi à loja oficial do clube e pegou 40 itens, a maioria camisas oficiais, e se recusou a pagar alegando que o clube deveria valores muito maiores ao seu irmão.

 

 

Após um ano e cinco meses jogando no Flamengo, Ronaldinho encerrou seu vínculo com o clube em 31 de maio de 2012, pedindo cerca de 40 milhões de reais de valores atrasados. O jogador conseguiu a tutela antecipada alegando que, apesar dos salários estarem sendo pagos, os valores de direitos de imagem também deveriam ser considerados referentes ao vínculo trabalhista, e o não pagamento destes seria suficiente para que fosse pedida a anulação do vínculo.

Após mais uma passagem complicada e com mais polêmica do que futebol, muitos duvidavam da capacidade e principalmente da vontade do jogador em voltar a ser o mesmo Ronaldinho que encantou o mundo jogando pelo Barcelona.

 

O retorno do bom futebol

 

 

Restou ao Atlético MG, confiar no potencial do jogador e apostar em seu potencial, fato que para surpresa de todos e com a camisa 49, a aposta deu mega certo e o jogador foi a principal peça da equipe no vice-campeonato brasileiro de 2012, como consequência o craque venceu o Prêmio Bola de Ouro da placar e voltou a ser convocado para a seleção de Luís Felipe Scolari.

 

Ronaldinho Gaucho comemora gol pelo Atletico Mineiro em 2013

 

Para o ano de 2013, o craque voltou a usar a sua famosa camisa 10 a qual o jogador fez sucesso na maioria dos clubes que passou e liderará o Atlético Mineiro em busca do inédito título da Libertadores da América, tanto para Ronaldinho, como para o Galo.

 

E você acredita que Ronaldinho ainda tem muito a oferecer aos fãs de seu futebol pelo mundo?