Camisas de Futebol » Inglaterra quer banir casas de apostas das camisas de futebol

Inglaterra quer banir casas de apostas das camisas de futebol

by André Coutinho
Compartilhe este link em suas redes sociais:

Os times ingleses devem passar por um momento de turbulência nos próximos anos. Isso porque o governo divulgará uma revisão das leis sobre as casas de apostas, proibindo a publicidade das mesmas.

Isso deve impedir as mesmas de patrocinarem equipes esportivas, ou seja, muitos times do futebol inglês devem ter de procurar outros anunciantes para seus mantos.

A notícia saiu no Daily Mail, que informou também que uma proibição mais ampla de esporteseapostas.com em publicidade esportiva – incluindo painéis e comerciais de TV – está sendo considerada, mas é menos provável neste estágio.

Nesta temporada, nove dos 20 clubes da Premier League têm empresas de jogos de azar como patrocinador máster. Na Championship são seis. Esses negócios são estimados em um valor combinado de £ 100 milhões (R$ 722 milhoes) por ano.

West Ham United v Manchester United, ManU - Premier League - London Stadium West Ham United s Nikola Vlasic in action du

Betway é a patrocinadora máster do West Ham há algumas temporadas | Crédito: Mike Egerton / Imago

Um estudo recente também descobriu que todos, exceto um dos clubes da Premier League, têm parceria com firmas de apostas de alguma forma, assim como 15 times da segunda divisão. Esses acordos poderiam continuar com os parlamentares interessados ​​em proteger as finanças dos clubes menos abastados.

Segundo o jornal, uma fonte confirmou a notícia. ‘Temos quase certeza de que a publicidade na frente da camiseta acabará. Todo mundo está esperando isso. Os reformadores querem mais, mas muitos políticos estão preocupados com as ligas inferiores. O governo acha que a frente da camisa vai pegar as manchetes e vai parecer que fez uma declaração ousada”.

Uma revisão da Lei do Jogo de 2005 foi lançada pelo Departamento de Digital, Cultura, Mídia e Esporte (DCMS) em dezembro de 2020 e a chamada para evidências foi encerrada em março. O Livro Branco do Governo – um documento de política que estabelece propostas para legislação futura – deverá ser publicado no final deste ano ou no início de 2022.

Haverá então um período de consulta de três meses antes que o projeto de lei vá ao Parlamento, o que significa que quaisquer mudanças que afetem as equipes esportivas provavelmente não entrarão em vigor antes de 2023, no mínimo.

Sheffield, England, 25th September 2021. Phil Jagielka of Derby County during the Sky Bet Championship match at Bramall

Derby County possui uma casa de apostas como patrocinadora máster | Crédito: Simon Bellis / Sportimage

Um porta-voz do DCMS disse que o processo está em revisão. “No momento, estamos realizando uma revisão abrangente de nossas leis de jogos de azar, incluindo publicidade e marketing, para garantir que sejam adequadas à era digital. Estamos determinados a enfrentar o jogo problemático em todas as suas formas e o trabalho terá como base nosso sólido histórico de introdução de medidas para proteger os que correm risco. Nenhuma decisão foi tomada”.

A parlamentar trabalhista Carolyn Harris disse ao Sportsmail que essa proibição é necessária. “Proibir anúncios na frente da camisa é, obviamente, a coisa certa a fazer, mas apenas arranha a superfície. Somos bombardeados por anúncios de jogos de azar e isso tem que parar. Anúncios devem ser completamente banidos para proteger as crianças e prevenir danos”.

Confira nosso Guia de Jogos na TV

Iain Duncan Smith, o ex-líder conservador, acrescentou que é apenas o começo. “Embora eu recebesse qualquer movimento para reduzir a publicidade de jogos de azar, e remover os anúncios da frente das camisas seria um primeiro passo importante, muito mais precisa ser feito. Os anúncios estão por toda parte – em painéis, em revistas, online e na TV. A única maneira de evitar que as crianças sejam expostas a anúncios de jogos de azar é bani-los”.

Na semana passada, o ex-goleiro da seleção, Peter Shilton, juntou-se aos ativistas para entregar uma petição de 12 mil pessoas ao 10 Downing Street. Shilton tem 71 anos, e é viciado em jogos de azar há 45. Ele entregou uma carta ao primeiro-ministro Boris Johnson e disse que a lei precisa mudar.

A proibição de patrocinadores de camisetas seria a maior mudança na publicidade no esporte desde que a promoção do tabaco foi proibida no Reino Unido em 2003.

A Premier League respondeu ao apelo do governo por evidências no início deste ano. Eles acreditam que não há uma ligação definitiva entre o patrocínio e o jogo problemático e que nenhuma mudança deve ser implementada sem primeiro identificar como a receita do patrocínio seria substituída.

O que achou da Inglaterra querer banir casas de apostas das camisas de futebol? Comente e compartilhe nas redes sociais!

Compartilhe este link em suas redes sociais:

Você também pode gostar