Topper, uma marca brasileira ou argentina?

Pode parecer estranho para alguns, mas essa é uma das principais dúvidas entre o público aficionado em camisas de futebol, afinal, a Topper é uma marca brasileira ou argentina?

Quem nunca caiu em uma discussão com um argentino sobre a nacionalidade da Topper? Vire e mexe aparece um “hermano” para nos dizer que a marca é argentina, e logo toda a rivalidade futebolística vem à tona e geralmente a discussão não toma os devidos rumos.

Para tentar solucionar a questão de uma vez por todas, resolvemos pesquisar sobre o assunto e inclusive entramos em contato com a Topper para saber qual o posicionamento da empresa sobre a questão.

O início

Para começar, temos que falar da Alpargatas, empresa de calçados fundada na Argentina por pelo argentino Juan Echegaray e o escocês Robert Fraser em 1885. Em 1907, a empresa abriu a sua filial no Brasil e somente em 1983, as duas companhias foram separadas.

Foi a Alpargatas que lançou a marca Topper em 1975, na Argentina, acontece que no mesmo ano, a marca foi trazida pela filial brasileira da Alpargatas ao Brasil, inclusive um logo diferente foi lançado.

Popularização no Brasil

Durante os anos 80, a marca se popularizou em nosso país, patrocinando a Seleção Brasileira de Futebol, o Corinthians e o jogador Sócrates.

Perto dos anos 90, a marca se popularizou ainda mais, sendo parceiras de diversas equipes nacionais, como Botafogo, Vitória e Cruzeiro.

Lá nos anos 2000, foi campeão mundial com o Corinthians e depois esteve ao lado do São Paulo FC na Libertadores e também no Mundial.

Todas essas ocasiões acima, fizeram com que a marca se popularizasse no país e de certa forma conquistasse uma grande simpatia do público brasileiro.

A “mãe” vira dependente da “filha”

Em 2008, acontece um ponto chave na história, já que a filial brasileira da Alpargatas, adquiriu a filial argentina, e se tornou proprietária da empresa de calçados também no seu país de origem.

Foi nesta época que o logotipo da Topper foi alterado e unificado, e os populares (e diferentes) logotipos utilizados durante décadas deram lugar ao símbolo atual.

Durante essa nova gestão, a Topper se popularizou nos times argentinos, fabricando uniformes de times como o Velez Sarsfield, o Racing, o Newell’s Old Boys, entre outros. Já no Brasil, a marca se manteve um pouco mais tímida, tendo destaque no Grêmio e no Atlético-MG.

Em 2015, a marca Topper do Brasil, foi adquirida pela holding BR Sports, que integra o Grupo Sforza, e atualmente o escritório da empresa fica na cidade de São Paulo.

A mudança de gestão, fez com que a marca retomasse força no país e a marca começou a reaparecer em times importantes, como o Botafogo, Ceará, Náutico, Remo, Brasil de Pelotas, Paraná Clube e mais recentemente o Atlético-MG, o Guarani, o Goiás e o Vitória.

A marca Topper na Argentina, por sua vez, continua pertencendo à Alpargatas, e de 2015 pra cá, tem feito um caminho oposto à marca brasileira e praticamente perdeu todas as equipes parceiras.

Conclusão: A Topper é argentino-brasileira

Em um troca de e-mails com a equipe do Mantos do Futebol, a Topper Brasil admite que a criação da marca foi realmente na Argentina.

A empresa no entanto, busca frisar a ligação da marca com o Brasil, como o patrocínio à seleção brasileira nas Copas de 82, 86 e 90, além da parceria com inúmeros clubes brasileiros em toda a sua história.

Por fim, eles deixam claro que a principal operação da marca acontece atualmente no país, mais precisamente em seu escritório na cidade de São Paulo.

Em nossa opinião, de fato a marca foi concebida nos escritórios da Alpargatas em Buenos Aires. No entanto a ligação da empresa com o Brasil chega a ser até mais forte do que com a própria Argentina. Assim, não é nenhum absurdo dizer que a marca nasceu na Argentina, mas hoje pode ser considerada também brasileira. Não é mesmo?

► Compre produtos Topper na Fut Fanatics

E ai, você sabia dessa polêmica em torno da Topper ser uma marca brasileira ou argentina? Qual a sua opinião?