Camisas do Arsenal 2003-2004 Nike | Henry 40 anos #ThrowbackThursday

Nesta semana foram comemorados os 25 anos da Premier League, primeira divisão do Campeonato Inglês e considerada a maior liga interclubes do planeta. Foram feitas várias ações comemorativas e sites relembraram a história da liga, inclusive, trouxemos aqui as 10 melhores camisas da Premier League para a Classic Football Shirts, uma das maiores referências no quesito.

Além disso, nesta quinta-feira (17/08) um grande personagem da liga faz aniversário: Thierry Henry, considerado por muitos o maior jogador da história da liga, comemora 40 anos de idade.

E por isso, resolvemos relembrar no quadro Throwback Thursday de hoje de algo relacionado aos dois: a espetacular equipe do Arsenal da temporada 2003-2004, único campeão inglês invicto até hoje.

Arsenal 2003-2004

(Clive Mason/Getty Images)

A temporada 2003-2004 da Premier League ficou marcada na história como a única, até hoje, em que uma equipe terminou invicta. Foi a 12ª temporada após a criação da nova liga e a 102ª edição do Campeonato Inglês, disputa no formato de pontos corridos com 20 equipes em turno e returno, totalizando 38 rodadas, o que torna ainda mais incrível o feito dos gunners.

A classificação final teve o Arsenal como campeão, com 26 vitórias e 12 empates, 73 gols marcados (melhor ataque), 26 gols sofridos (melhor defesa), e ainda teve o craque da competição, Thierry Henry, como artilheiro, com 30 gols, contra 26 de Alan Shearer do Newcastle.

O time não era Henry +10. O Arsenal possuía um grande esquadrão, desde o goleiro Seaman, uma verdadeira muralha, passando por uma defesa consolidada, com os paredões Campbell e Touré, que de quebra marcavam uns golzinhos de cabeça, um meio de campo que aliava força e técnica apuradíssimas, com os dois volantes Gilberto Silva e Patrick Vieira, a disciplina tática de Ljungberg e a genialidade de Robert Pirés. No ataque, junto do craque francês ainda tinha um dos melhores jogadores holandeses de todos os tempos: Dennis Bergkamp, o homem de gelo, responsável por lances antológicos durante a carreira. Era realmente de se imaginar que a equipe conquistasse grandes resultados.

Na campanha, podemos destacar cinco grandes jogos: duas vitórias por 2×1 sobre o Chelsea, que terminou na segunda posição, mais dois triunfos sobre o Liverpool (4×2 em Highbury e 2×1 em Anfield) e um 5×0 acachapante sobre o Leeds United, jogando em casa.

Time base: Seaman, Lauren, Campbell, Kolo Touré e Ashley Cole; Gilberto Silva, Vieira, Reyes e Ljungberg; Bergkamp e Henry. Téc.: Arsène Wenger.

Camisa titular

Os uniformes do Arsenal naquela temporada eram produzidos pela Nike, que já estava com a equipe há alguns anos. O manto titular era baseado no template lançado para a Copa do Mundo de 2002 e tinha a cor vermelha como predominante, com as mangas e axilas na cor branca, a mesma utilizada em finas linhas nas costas e no interior da gola redonda.

A Nike estampava uma versão branca de sua logomarca no lado direito do peito, enquanto o escudo do Arsenal era colocado no lado esquerdo, na versão que é utilizada até hoje. A O2 estampava sua logo em branco na área nobre da camisa.

Completavam o uniforme, calção branco e meiões vermelhos.

Camisa reserva

O manto reserva era bem mais simples e tinha a cor amarela como predominante, com a gola em um formato pólo azul com um grande triângulo na ponta, também em azul.

A Nike estampava uma versão azul de sua logomarca no lado direito do peito, enquanto o escudo do Arsenal era colocado no lado esquerdo, na versão que é utilizada até hoje. A O2 estampava sua logo em azul na área nobre da camisa.

Completavam o uniforme, calção azul e meiões amarelos.

Camisa três

O terceiro uniforme havia sido lançado uma temporada antes, como uniforme reserva. Ele possuía o template da Copa de 2002 e tinha a cor azul marinho como predominante, com uma fina linha vermelha nas costas, nos punhos e no interior da gola V. Na região frontal era colocado um grafismo em gradiente nas cores azul marinho, azul celeste e branca.

A Nike estampava uma versão branca de sua logomarca no lado direito do peito, enquanto o escudo do Arsenal era colocado no lado esquerdo, na versão que é utilizada até hoje. A O2 estampava sua logo em branco na área nobre da camisa.

Completavam o uniforme, calção e meiões na cor azul marinho.

O craque faz 40 anos: Thierry Henry

Thierry Daniel Henry nasceu em Les Ulis, no dia 17 de agosto de 1977. Durante a categoria de base atuou por algumas equipes antes de chegar ao Mônaco, em 1992, onde se profissionalizou três anos depois, aos 21 anos, tendo disputado 141 jogos e marcado 28 gols. Por lá foi campeão da Ligue 1 na temporada 1996-1997 e convocado para a Copa do Mundo de 1998.

Após o título em casa, Henry foi comprado pela Juventus, onde jogou apenas por uma temporada, em 1998-1999. Ele fez apenas 19 jogos e marcou 3 gols, sem conquistar nenhum título.

E foi de lá que ele partiu para o Arsenal, clube do qual é o maior artilheiro (228 gols em 376 jogos) e considerado maior jogador de sua história. Falar de Henry e não falar e Arsenal, ou vice-versa, é impossível. Foram oito temporadas de muito brilho, gols, jogadas fantásticas e principalmente títulos, muitos títulos, individuais e coletivos.

Pelos gunners, Henry venceu a Premier League por duas vezes (2001-2002 e 2003-2004), a FA Cup também por três vezes (2001-2002, 2002-2003 e 2004-2005), além de duas Community Shields (2002 e 2004). Henry foi artilheiro de quatro edições da Premier League (2001-2002, 2003-2004, 2004-2005 e 2005-2006), foi eleito o futebolista inglês do ano pela Football Writers Association em três temporadas (2001-2002, 2003-2004 e 2005-2006), foi eleito futebolista do ano pela Professional Footballers Association por três temporadas (2001-2002, 2003-2004 e 2005-2006), participou da equipe do ano da Premier League em seis temporadas (2000-2001, 2001-2002, 2002-2003, 2003-2004, 2004-2005 e 2005-2006) e foi chuteira de ouro da liga em quatro temporadas (2001-2002, 2003-2004, 2004-2005, 2005-2006), tá bom, ou quer mais?

Após essa campanha histórica pelo Arsenal, o francês ainda atuou por Barcelona, onde foi campeão da UEFA Champions League e do Mundial, e New York Red Bulls, onde encerrou a carreira, em 2014.

Pela seleção francesa, Henry também foi grande destaque no período em que vestiu o uniforme dos bleus. Foram 123 partidas e 51 gols marcados, sendo campeão do mundo em 1998, da Eurocopa em 2000 e da Copa das Confederações em 2003, competição da qual foi bola de ouro e chuteira de ouro.

Henry foi eleito jogador francês do ano em 2000, 2003, 2004, 2005 e 2006.

►Você encontra as camisas daquela equipe do Arsenal na Classic Football Shirts

Se lembravam da temporada fantástica do Arsenal e de Therry Henry em 2003-2004?