Bahia fecha com a Penalty

Insatisfeito com a Nike como fornecedora de materiais esportivos desde 2012, quando assumiu a gestão do presidente Fernando Schmidt, o Bahia irá anunciar em dezembro deste ano uma substituta para a função, e a Penalty será a nova parceiro do tricolor de aço provavelmente por 4 anos.

Apesar de tudo certo, o acerto só será anunciado oficialmente em dezembro. Isso porque ainda está em vigência o contrato entre Bahia, Nike e Netshoes que foi assinado em dezembro de 2011 e acabaria quatro anos depois, em dezembro de 2015, mas teve o término antecipado para 30 de novembro de 2014. As três partes entraram em comum acordo para que a relação termine sem mais traumas. Só depois desse dia – a partir de 1º de dezembro, portanto – que o clube poderá assinar um novo contrato com outra fabricante de materiais esportivos.

Veja também: 

[+] Novas camisas do Bahia 2015 Penalty

A insatisfação do Bahia com a Nike é bastante grande. Um dos motivos foi o design das camisas, idêntico aos de clubes europeus patrocinados pela marca americana. Os uniformes tinham exatamente os mesmos desenhos que os de Arsenal, Manchester United e Freiburg.

Outra discórdia tinha a ver com varejo. O Bahia acusava a Nike de represar a entrega de camisas para lojas físicas em favor da Netshoes, terceira parte envolvida no contrato. O comércio eletrônico faz parte dos acordos que a marca tem com Santos, Coritiba e Internacional, além do próprio Bahia, responsável pela fabricação e pela distribuição dos produtos. Esta atitude da Nike, dizia o marketing tricolor, reduzia as receitas do time com royalties sobre as vendas.

Havia, ainda, insatisfação pelo fato de a Nike não ter construído a loja física que prometeu quando assinou contrato em 2011, quando a equipe ainda era dirigida pelo então presidente Marcelo Guimarães. Esses desentendimentos minaram a relação do Bahia com a Nike e abriram caminho para que a Penalty negociasse e, agora, chegasse a um acerto.

Ao site Máquina do Esporte, a Nike confirmou o distrato e afirmou que permanece com Corinthians, Santos, Internacional e Coritiba como clubes patrocinados no Brasil, além da seleção brasileira, de quem é parceira há 18 anos. “A Nike ainda reforça que está sempre atenta às oportunidades do mercado para parcerias de longo prazo”, informou a empresa.

A notícia vai ao encontro da estratégia da Penalty de reposicionamento no mercado, em prática já há algum tempo pela nova gestão. Provavelmente a empresa perderá o contrato com o São Paulo, no entanto deve anunciar em breve um acordo com o Cruzeiro, bicampeão brasileiro.

Segundo a ESPN, nem tudo é motivo de comemoração para os torcedores do Bahia, já que a camisa do clube que chegava ao mercado no valor de R$ 179,90 com a Nike, deverá ter seu preço aumentado com a Penalty. A expectativa é que os novos uniformes sejam apresentados antes do natal.

Contribuíram para esta nota Máquina do Esporte e ESPN.

O que acham da Penalty como nova fornecedora do Bahia?