História da camisa do Boca Juniors

Quando foi fundado por cinco jovens do bairro La Boca, em Buenos Aires (ARG), o Club Atlético Boca Juniors não nasceu azul e amarelo (ou ouro, como prefere a torcida xeneize) como muitos pensam. O time disputou suas primeiras partidas com camisa rosa (!), branca com listras pretas e até azul celeste. Depois de dois anos, os jovens decidiram escolher uma cor definitiva de maneira inusitada. Juan Brichetto, um dos aficionados boquenses e que trabalhava no porto da cidade, decidiu que a camisa teria as cores da bandeira do primeiro navio que passasse pela ponte que ficava perto da rua Estados Unidos. Os membros do clube aceitaram e foram até a ponte esperar. Foi então que surgiu no horizonte o Drottning Sophia, com uma bandeira da Suécia. Naquele dia, ficava sacramentada as cores da nova e eterna camisa do Boca: azul e amarelo.

 

Réplica da primeira camisa utilizada pelo Boca Juniors

 

Curiosamente, a equipe utilizou de 1908 até 1913 uma camisa azul com uma faixa diagonal em amarelo (o que hoje causaria polêmica por causa do maior rival, o River Plate). Só a partir de 1916 foi que o clube adotou a tradicional camisa azul com uma extensa faixa horizontal amarela no peito. Pronto. Nascia o manto que décadas depois se consagraria como um dos mais clássicos e temidos do futebol mundial. E que ainda causa calafrios em palmeirenses, santistas, gremistas, madrilenos…

Camisas históricas Boca Juniors

Este texto foi escrito por Guilherme Diniz do blog Imortais do Futebol. Gostou ou gostaria de ver a história de algum clube em específico? Deixe sua opinião no comentário. E curta a fan page do Imortais: